Vida pós-quarentena? 5 coisas que demonstram como tudo será diferente

Este será o seu “novo normal”. Será que está preparado?

Grande parte da população portuguesa (e mundial) tem estado, nas últimas semanas, isolada nas suas próprias casas. O esforço para travar a propagação do coronavírus obriga-nos a manter um distanciamento social e a privilegiar o tempo passado dentro de casa, longe das outras pessoas, dos nossos familiares, colegas e amigos.

Felizmente esta realidade não irá durar muito mais tempos. Aos poucos irá começar a ser decretado um retorno à normalidade. As medidas do Estado de Emergência começarão a ser suavizadas e aos poucos as pessoas vão começar a sair mais de casa e a voltar aos seus locais de emprego.

[Leia também: 7 estratégias para ensinar os miúdos em casa, explicadas por professores]

No entanto uma coisa parece certa, até ser criada uma vacina – cuja fase desenvolvimento pode ainda demorar 12 a 18 meses – ninguém irá regressar completamente ao seu estilo habitual de vida. Nenhum serviço, nenhuma empresa, nenhum restaurante irá simplesmente “abrir as portas” e fingir que o surto da Covid-19 nunca aconteceu.

Vamos todos ter que nos saber adaptar a uma “nova” (e condicionada) realidade. Eis 5 exemplos que provam bem como a vida será diferente após esta fase de quarentena.

 

  1. Os desportos serão praticados em estádios e arenas vazias

Até que uma vacina seja descoberta e esteja disponível para grande parte da população nada será como antes. Principalmente, continuaremos a ter restrições fortes relativamente a grandes aglomerados de pessoas. Uma das consequências dessa situação será evitar que grandes públicos se concentrem em estádios e arenas para ver os seus desportos favoritos. Assim que as principais competições desportivas retomarem, o mais provável é que os jogos serão todos realizados “à porta fechada”. Felizmente poderemos continuar a assistir às emissões televisivas em direto.

  1. Continuaremos afastados e a usar máscara

Quando voltarmos a poder sair livremente de casa, isso não irá significar que poderemos retomar todos os hábitos sociais que tínhamos anteriormente. O mais provável é que nos continue a ser recomendado um distanciamento social durante essa fase transitória. O uso de máscara poderá inclusive ser decretado obrigatório sempre que andamos de transportes públicos ou quando estamos em espaços fechados com muitas pessoas.

Nesse sentido, o mais provável é que os restaurantes e os seus funcionários tenham também que se habituar a esta nova realidade de uso de máscara.

  1. As consultas médicas realizadas remotamente serão a norma

Consultas médicas via Skype, Facetime ou Zoom? Sim, vão tornar-se muito mais frequentes. A telemedicina era já uma tendência em forte crescimento, agora é certo que esta tecnologia veio para ficar. Muitos hospitais e clínicas estão já a apresentar e a fortalecer os seus serviços de videoconsulta, como forma de dar uma resposta a esta nova realidade, que irá continuar inevitavelmente a privilegiar um distanciamento social.

  1. Provavelmente teremos que fazer testes frequentemente

De forma a que os governos possam ter confiança suficiente para permitir uma maior circulação das pessoas no espaço público, será necessário que a capacidade de teste aumente significativamente. Teremos que ser capazes de monitorizar o estado clínico de milhares de pessoas de formas rápidas e eficazes, garantindo que nenhum individuo infetado possa circular sem restrições, colocando assim em risco a saúde das outras pessoas. Medidores de febre serão utilizados com maior frequência, assim como iremos provavelmente ter acesso a testes de rastreio rápido da Covid-19.

  1. Muitos continuarão a trabalhar a partir de casa

O teletrabalho é também outra realidade que não irá desaparecer assim que a quarentena for “levantada”. Mais do que nunca muitos negócios e muitas empresas serão obrigadas a repensar os seus serviços e a organização dos seus recursos humanos. Alguns empresários irão finalmente perceber que muitos dos seus funcionários são tão (ou mais) produtivos em casa, do que no local habitual de emprego. Provavelmente para muitos deixará de fazer sentido arrendar um grande espaço de escritórios, preferindo em alternativa adotar soluções mais flexíveis de espaço.

Sendo certo que esta nova realidade não será transversal a todos os sectores de atividade, a verdade é que o teletrabalho será finalmente uma solução bem mais considerada pelos principais decisores das empresas.

 

[Leia também: Covid-19. O que nos podem ensinar os exploradores polares sobre o isolamento social?]

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...