6 ideias para a Páscoa mais original de sempre

O cabrito não é uma missão impossível e a família não tem de estar longe. A DECO reuniu sugestões para que nada falte: apps para contactos, refeições, atividades e compras online.

A situação de pandemia provocada pelo coronavírus leva a que a Páscoa, este ano, seja diferente do habitual. O isolamento impede que as famílias se juntem para celebrar e para participar em eventos religiosos.

Com a renovação do estado de emergência, o Governo anunciou um reforço das medidas que continuam a impedir deslocações que não sejam essenciais (para ir ao supermercado, à farmácia ou dar apoio a alguém) e, especialmente na Páscoa, fica proibida a circulação para fora do concelho de residência.

Mesmo em casa e fisicamente longe dos familiares, é possível reduzir distâncias e tornar esta época festiva mais parecida com o habitual.

1. Apps para estar perto da família

Estamos todos separados da família e dos amigos, mas as tecnologias ajudam-nos a sentir mais proximidade. Nesta fase de isolamento, aumentou em flecha o uso de aplicações sociais e de vídeoconferência.

No top da lista das mais descarregadas está a app Houseparty, que não recomendamos que descarregue porque recolhe e partilha demasiados dados pessoais. O Skype, o WhatsApp e o próprio Facebook são alternativas para contactar os seus familiares e amigos.

As crianças e os jovens estão mais familiarizados com o TikTok, que já compete com o WhatsApp e com o Messenger e onde pode partilhar conteúdos em vídeo de curta duração. Tem crianças ou jovens em casa? Peça-lhes ajuda para descobrir e explorar a app.

2. Refeições para a Páscoa

No domingo de Páscoa, é tradição de muitas famílias cozinharem cabrito ou borrego para o almoço. Caso consiga fazer as compras tradicionais, lembre-se de verificar a cor e o odor destas carnes, assim como a data da embalagem se optar por carne pré-embalada. Confira dicas de confeção e de conservação no nosso guia de compras de cabrito e borrego.

Pode inovar e trazer à mesa sabores pouco habituais desta época, mas igualmente saborosos e nutritivos. As leguminosas, por exemplo, são uma alternativa saudável e económica. Feijão, grão de bico, ervilhas, favas ou lentilhas estão disponíveis durante o ano inteiro e são fontes de fibras, vitaminas e sais minerais. Pode servi-las cozidas inteiras ou em puré, em sopas ou como prato principal (almôndegas e hambúrgueres).

Como acompanhamento, não tem de se ficar pelo arroz, batata ou esparguete. O leque de opções para acompanhar os pratos é cada vez maior. Bulgur, couscous, millet, quinoa e trigo-sarraceno competem em termos nutricionais e de preço com os acompanhamentos mais tradicionais.

Páscoa também costuma ser sinónimo de ovos. Usam-se para confecionar bolos e sobremesas, põem-se cozidos dentro dos folares, oferecem-se e comem-se os de chocolate e até há quem os pinte e use como decoração. No geral, quase todo o tipo de ovos é de boa qualidade. A grande diferença é o modo de criação da galinha: na gaiola, no solo ou ao ar livre. Ajudamos a escolher com o nosso teste a ovos.

A refeição completa-se com um bom vinho. Tinto ou branco, depende do que escolher para a ementa. No nosso teste encontra os melhores vinhos portugueses, com boa qualidade e baixo preço, alguns do tipo “Reserva” ou “Colheita Seleccionada”.

Sem sair de casa, através da parceria com a Garrafeira Nacional, consegue encomendar vinho online, com desconto, e recebê-lo na sua morada.

3. Açúcares debaixo de olho

Tal como noutras alturas festivas, também na Páscoa há tendência para exagerar no consumo de açúcar por causa das guloseimas.

As amêndoas de chocolate, por exemplo, têm mais calorias e maior teor de gordura do que as cobertas de açúcar. Convém, por isso, não abusar. Na análise a amêndoas da Páscoa que fizemos consegue saber o valor extra de calorias.

Os folares são outras das guloseimas usualmente presentes numa mesa de Páscoa. O mais simples é o folar com canela e erva doce, feito com farinha de trigo, ovo, açúcar e gordura. Mas depende muito de cada região. Com ou sem ovo, é um bolo com um teor médio de gordura e açúcares, que também deve ser consumido com moderação.

Os açúcares que consumimos nestas alturas festivas não estão só no mais evidente: ovos de chocolate, amêndoas ou folares. Existem alimentos que não são doces, mas que têm grandes quantidades de açúcares adicionados. É o caso de alimentos processados como o ketchup, o pão de forma, as barras de cereais ou os néctares. Também as papas infantis, as granolas ou as bolachas apresentam, muitas vezes, teores mais elevados de açúcar do que o desejável. Por isso, é fundamental ver nos rótulos dos alimentos as quantidades de açúcar que estão presentes e que vão ser ingeridas.

4. Jogos e trabalhos manuais para entreter

Desta vez, não vai ser possível sair de casa para passear na praia ou no parque ou para tomar café. Seja através de vídeochamada, se estiver sozinho, ou com os que estão em isolamento na mesma casa, há diversas atividades que família e amigos podem fazer.

Quem tem crianças em casa consegue ocupá-las com atividades didáticas e divertidas, adaptadas ou não à época. Os ovos pintados ou um centro de mesa aproveitam-se para a decoração de Páscoa. Para um uso mais intemporal, faça com os miúdos um lenço de seda estampado ou ímanes para recados que pode pôr no frigorífico.

Desde jogar em grupo nas aplicações, a fazer jogos de palavras e de tabuleiro ou trabalhos manuais, tudo é válido para passar o melhor tempo possível. Os jogos de memória e de expressão exercitam a mente e melhoram a comunicação

5. Cuidar da imagem

O facto de estar fechado em casa não significa que fique sempre de pijama ou de fato de treino. A época é de festa, mesmo que não vá visitar ninguém, e as vídeochamadas exigem um look à altura do momento. Vista a roupa especial que tem no armário e que, por já não poder sair, pensou deixar guardada.

Claro que também não vai poder ir à esteticista e ao cabeleireiro, mas pode fazer algumas coisas em casa. Pintar o cabelo é mais fácil do que parece com as nossas dicas, desde que consiga comprar uma boa tinta para o cabelo.

Com tantas lavagens diárias, a pele das mãos vai ficando mais seca e irritada. Para minimizar o desconforto e regenerar a pele, use um dos cremes para mãos recomendados.

6. Compras online

Também há quem tenha por hábito, na Páscoa, oferecer um presente aos afilhados, a familiares ou a amigos. Com as lojas físicas fechadas, muitas empresas direcionaram-se para o comércio online. Enquanto alguns produtos registam quebras nas vendas (telemóveis e tablets, por exemplo), outros setores como os supermercados viram as vendas aumentar e têm esgotado os horários para entregas ao domicílio.

Fazer compras online é uma boa alternativa para evitar sair para comprar bens essenciais, mas não só. Passando mais tempo em casa também se percebe o que, afinal, faz falta. E pode ser desde a máquina de café a ferramentas essenciais ao teletrabalho. O plug-in Melhor Escolha permite, de forma gratuita, monitorizar os preços nas lojas online, identificando produtos testados por nós e onde pode comprar mais barato.

Caso nunca tenha feito compras pela internet, não desespere. Comece por verificar se o site onde quer comprar começa com “https://” no endereço de URL, significando que é seguro. Use passwords difíceis de adivinhar, que tenham números, símbolos e letras minúsculas e maiúsculas. Mude as passwords de vez em quando. Se ficar mais confortável, em vez de dar os dados do seu cartão de crédito na compra, faça os pagamentos por PayPal.

Para facilitar a escolha dos produtos mais procurados atualmente, abrimos aos consumidores, através de registo, alguns comparadores de diversas categorias: eletrodomésticos, tecnologia, dinheiro, saúde e casa e energia. Além de poder comparar preços e qualidade de máquinas de café, impressoras ou tarifários de telecomunicações, pode basear a sua compra na nossa Escolha Acertada e Melhor do Teste.

Fique em casa

Mesmo que tenha saudades da família e dos amigos, que esteja um dia de sol ou que tenha o carro parado há muito tempo, não vá para a estrada. Só poderá fazê-lo por motivos excecionais.

As limitações são mais severas entre as 00h00m de 9 de abril e as 24h00m de 13 de abril. Durante esse período não poderá sair do seu concelho de residência habitual, a menos que seja por motivos de saúde ou outros motivos urgentes, ou se estiver no exercício de atividade profissional nos termos legalmente admitidos. Nesse caso, leve consigo uma declaração da entidade patronal para apresentar às autoridades se o mandarem parar.

O país está em situação de estado de emergência desde 22 de março, renovada até ao fim do dia 17 de abril.

Saiba mais informações aqui.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
Loading...